Solidão e Timidez - Como Vencer Esse Sentimento Aprisionador

Solidão e Timidez – Como Vencer Esse Sentimento Aprisionador

Solidão e Timidez - Como Vencer Esse Sentimento Aprisionador

Solidão e Timidez – Como Vencer Esse Sentimento Aprisionador

Solidão é…

Considerada a discrepância entre os níveis de contatos sociais desejados x efetivados. Solidão é um estado emocional, não necessariamente por estar só, mas por sentir-se só.

Para sentir solidão você não precisa estar sozinho. Algumas pessoas conseguem manter um diálogo interno tão bom que funciona até como prevenção para solidão, até se diverte sendo boa companhia para si mesmo. Mas alguns podem até estarem no meio da multidão e ainda assim sentirem uma sensação de “ausência”, de perda de algo importante.

A solidão pode nos fazer pensar sobre o sentido de nossa vida.

Solidão, algumas vezes, pode ter a ver com sensação de abandono.

Perceba que nossa cultura valoriza muito o fato de estarmos em grupos. A TV mostra o tempo todo pessoas felizes sempre rodeadas de gente, o que pode provocar dúvidas para a pessoa que optou por fazer companhia para si mesmo. Não considero solitária a pessoa que está sozinha por opção.

Fazer amigos: Antídoto para Solidão?

O antídoto para solidão pode ser um amigo, ou a possibilidade de fazer amigos. Amizade sincera, leve, amizade que não gera obrigação.

Amigos não são necessariamente pessoas de sua família. Amigo é aquela pessoa que você se sente à vontade para conversar e contar com ele “preciso que você fique comigo agora” e ele fica. O problema surge quando a timidez torna-se um impeditivo para iniciar novas amizades.

Um namorado, marido ou outro familiar pode ou não ser seu amigo, mas acredito que sendo amigo o relacionamento seria mais completo.

Outra opção para superar a solidão seria, por exemplo, trabalhar o autoconhecimento, entender o porquê desta solidão ou, conforme o profissional perceber a necessidade pode-se trabalhar técnicas específicas de habilidades sociais.

Timidez

Algumas pessoas têm muita dificuldade em fazer amigos devido à timidez, talvez o medo de ser rejeitado ou pensamentos distorcidos quanto a não ser interessante o suficiente para outras pessoas possam prejudicar a possibilidade de iniciar novos relacionamentos.

Características da pessoa tímida

É comum o tímido dar excessiva atenção ao julgamento alheio. Por exemplo, pensamentos do tipo “estão olhando para mim, me achando uma boba,  achando que eu só falo bobagem, cheguei na hora errada, estou incomodando”, mesmo que na grande maioria das vezes esse tipo de pensamento não esteja correto.

Existe tratamento para timidez?

Há alguns caminhos, abordagens e formas de tratar a timidez dependendo do profissional. Em uma das opções o tratamento psicoterapêutico pode ser objetivo e pratico tratando diretamente a dificuldade em conviver em grupo. O tímido pode sofrer de solidão. O psicólogo tem como opção de trabalho o treino em habilidades sociais assim como iniciar conversas e formas de tranquilizar diante de situações sociais.

Formas erradas de lidar com a timidez

Eu percebo que algumas pessoas buscam soluções que podem causar mais danos como, por exemplo, a chamada “extroversão liquida”, ou seja, o uso do álcool obter extroversão, mas como todo mundo sabe a bebida não só não resolve o problema como pode criar mais um, ou alguns conforme o caso.

Outra estratégia que vejo as pessoas usando para se sentirem melhores seria mudar a aparência. É claro que se você fizer uma plástica você pode ficar mais bonita, mas será que houve mudança interna?

Há quem se entregue a relacionamentos fugazes, mas se pergunte, será que está me preenchendo?

Às vezes percebemos pessoas que argumentam dizendo que estão sozinhas porque as pessoas hoje em dia têm muitos defeitos com os quais ela não suporta conviver. Tem gente que diz que prefere ficar sozinho a ter que conviver com gente que não seja religiosa ou com quem não seja vegetariano. Prefere ficar só a ter que conviver com capitalistas.  Pare um instante. Se ouça um pouco. Poderia ser desculpas?

Empatia

O solitário em geral se preocupa demais com a avaliação dos outros: o que os outros vão pensar? Será que vão gostar de mim? Mas não seria interessante esta pessoa trabalhar sua capacidade de perceber o outro, entender seus sentimentos sem julgamentos.

Aspectos emocionais

A solidão pode ser uma experiência desagradável, a emoção de quem está sofrendo de solidão podem ser: ansiedade, tensão, inquietação e muitas vezes a pessoa se torna agressiva.

Solidão provocada pelas circunstâncias da vida

Por exemplo, você terminou um namoro, divorciou-se ou separou-se do seu grupo, teve que mudar de cidade ou seus filhos saíram de casa porque se casaram ou foram estudar fora. Mudança de status: você foi promovido no trabalho e os que eram seus colegas com quem você se relacionava de igual para igual agora são seus subordinados. Isso pode separar as pessoas, fisicamente, ainda estão todos ali, mas você perdeu os laços emocionais, de amizade, agora sua postura tem que ser outra. Seu papel é outro.

A aposentadoria também te separa do mundo que você conhecia tão bem seus amigos vão se distanciando porque agora vocês já não têm mais aquele ponto em comum como conversar sobre o trabalho quando você está longe desse meio? Vai falar sobre o que?

Assumir novos papéis, por exemplo: você casou, agora já não dá mais para ter o mesmo contato com seus amigos ou as amigas solteiras, ficaram diferentes, por mais que você se empenhe os interesses são outros.

Você teve um filho, agora o tempo que você tinha para ficar com seus amigos será todo destinado a cuidar dele.

Solidão x Depressão

Solidão pode provocar depressão, mas também a depressão também pode provocar solidão.

Solidão e amizades

Benefícios da amizade

Amigo pode oferecer oportunidade de ampliar o horizonte, seja pela oportunidade de ver o mundo pelo ponto de vista dele, pois a troca de ideias facilita esta interação, seja pela possibilidade de receber carinho e cuidados de alguém a quem também se oferece carinho e cuidados.

O sentimento de pertencer a um grupo pode ser fundamental, mesmo que seja um grupo pequeno, uma a pessoa que tenha um só amigo já constitui uma equipe de pessoas que partilham interesses. Este partilhar pode oferecer a oportunidade de receber aceitação, talvez algumas criticas mas que podem ser bem vindas pois poderão ter amor nas palavras mesmo que algumas vezes sejam meio duras.

Amigo também pode desenvolver o sentimento de responsabilidade. Preocupar-se com o amigo é uma preocupação saudável (dentro dos limites da harmonia pessoal e interpessoal), interessar-se pelo seu bem estar e esforçar-se para que o amigo seja feliz pode promover felicidade interna e combater o egoísmo.

A falta de amizade ou de apoio da família é uma queixa comum nos consultórios?

As pessoas podem sofrer muito pela falta de amigo, mesmo que façam “cara de paisagem” no dia a dia e digam que não sentem falta. A ausência de alguém com quem dividir ideias e experiências pode ser muito frustrante e até avassalador.

A falta de apoio da família costuma causar mais dor do que a falta de amigos, pois é comum ter a expectativa que a família apoiaria independente de aprovar qualquer comportamento. Ou seja, um membro da família pode desaprovar algum comportamento, mas supõe-se que teria amor suficiente para abordar este familiar com afeto, compaixão, desejo de felicidade e colocar o que pensa a fim de ajudar. Quando isto não acontece o sentimento de abandono pode causar fortes prejuízos emocionais.

Solidão – como combatê-la

Considerando a solidão como algo que também pode ser positivo quando opcional. Ou seja, não seria sofrível alguém que deseje a solidão, mas não quando a pessoa mente para si mesmo e camufla de opção algo que na realidade consiste de uma derrota pessoal.

O estilo e nível de amizade podem ser escolhidos. Por exemplo, há pessoas muito felizes que escolheram não ter amigos íntimos, mas ter muitos amigos “sociais”. Estas pessoas parecem solitárias, vivem sós, mas se relacionam muito bem com todas as passagens fugazes de pessoas sua vida como, por exemplo, o balconista da padaria, o vizinho, etc.

Mas quando a solidão não é uma escolha e sim uma condição reflexa tanto da inabilidade de formar vínculos interpessoais como resultados de traumas que impedem a formação de vínculos, aí sim pode ser muito sofrido.

Para combater esta solidão é interessante identificar sua causa. Cada um tem sua historia de vida e a causa não será a mesma para todos. É possível que uns simplesmente não tenham recebido treino de habilidades sociais em sua infância, outros tenham vividos situações fortes que impedem novos vínculos, outros tenham características de personalidade que impedem a espontaneidade nos relacionamentos, enfim, cada um tem sua historia.

Como conseguir disposição para sair e buscar a companhia de um amigo?

A auto-instrução pode ser uma boa dica, ou seja, conversar consigo mesmo e identificar argumentos que comprovem tanto a importância de vencer as barreiras para ter uma vida social mais rica, como para identificar técnicas que facilitem novas interações.

Caso a pessoa tenha muita dificuldade em conseguir isto sozinha um psicólogo pode ajudar. Algumas pessoas podem sofrer de fobia social, e este quadro pode ser trabalhado em psicoterapia.

A amizade pode suprir mais do que a família?

Tudo é importante, mas nada é essencial. Ou seja, é possível que para muitas pessoas que não tiveram oportunidade de relacionamentos saudáveis, ou qualquer relacionamento com suas famílias, um amigo seja sua família de “escolha” e não determinada pelo destino (como seria o caso da família).

Da mesma forma há pessoas que se condenam por não ter amigos fora da família, mas possuem relacionamentos tão bons com um irmão ou avô e não percebem que já estão supridos de amigos, e podem ser felizes com todas as outras convivências do dia a dia.

Fonte base: Marisa de Abreu Alves

Veja abaixo vídeos relacionados sobre o assunto:

Solidão e Timidez – Como Vencer Esse Sentimento Aprisionador
5 (100%) 1 voto

Leave A Response

* Denotes Required Field